Projecto de elaboração da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética em Moçambique

 

O projecto de elaboração da Estratégia Nacional de Segurança Cibernética em Moçambique insere-se no Plano de Acções dos países-membros da CTO, a ser implementado entre 2016 e 2020, com o objectivo de adoptar medidas que garantam um ambiente online seguro, onde utentes, negócios e o Governo estão devidamente protegidos, permitindo ao país usufruir dos benefícios das Tecnologias de Informação e Comunicação, em prol de desenvolvimento social e económico.


Na nossa actualidade, governos de diferentes países tendem a concentrar cada vez mais os seus esforços na questão da segurança cibernética. Na Sociedade de Informação, muito do que tem sido feito é através de computadores e da Internet, tal como as nossas comunicações (email, redes sociais e celulares), entretenimento (MP3s, cabos digitais), transporte (veículos motorizados, navegação aérea), comércio (comércio electrónico, cartões de crédito), banca, integridade física e psíquica dos cidadãos, sistemas de informações de prestação de serviços governamentais, infra-estruturas críticas (telecomunicações, electricidade, barragens, etc.), grandes projectos.


Apesar de as empresas serem o principal alvo de ataques cibernéticos, governos correm os mesmos riscos e com consequências muito mais graves dado o número de cidadãos que dependem dos seus serviços.


Moçambique registou enorme progresso na expansão de acesso aos serviços básicos das comunicações, tal como postais, de telefonia fixa e móvel, entre outros. Todavia, o país tem, ainda, o desafio de desenvolver mais infra-estruturas para serviços de banda larga para possibilitar que cidadãos tirem maior proveito dos benefícios da Sociedade de Informação. Também, existe o desafio de prevenir o mau uso e vulnerabilidades relaccionadas com as tecnologias de informação e comunicação (TIC), pois constituem uma séria ameaça às infra-estruturas nacionais.